+244 922 920 224 cleevernews@gmail.com
Quinta-feira, Fevereiro 2, 2023
Rap

Sixckim está entre os jovens mais destacados em acções filantrópicas a favor dos artistas

 

 

Durante uma entrevista recente ao Artigo 40° Podcast, o músico surpreendeu, ao revelar o que tem feito para ajudar a classe dos artistas durante a pandemia. Sixckim afirmou que usou parte do patrocínio que recebeu de empresários para ajudar alguns colegas a promoverem videoclipes no canal de televisão AfroMusic.

Como resultado, ficou seis meses sem ter meios para promover o seu próprio trabalho na televisão em 2021, e garantiu não estar arrependido porque “ninguém caminha só e devemos estar unidos.”

O autor do sucesso “Tenha Fé” revelou que usou parte do apoio que tinha e ajudou na divulgação e promoção dos trabalhos de algumas figuras, entre as quais, Os Gabeladas, no videoclipe Kissángua; Dr Romeu em “O mundo gira”; Morena Fofa de Malange em “Mãe grande”; Ingomblock em “Suco”; e fez ainda uma parceria com o músico Big Nelo para promover o videoclipe “Já vivi isso antes”.

O artista também conseguiu apoios para financiar um plano de saúde da Medicare Angola para seis músicos e alguns profissionais do projecto Nova Geração da Topmusic.

Aos 5 de Agosto do corrente ano, foi convidado para assistir a antestreia do filme “Mwana Nketo”, de Silvio Nascimento, que contou com a presença do Vice-Presidente da República de Angola, Bornito De Sousa Baltazar Diogo.

Sixckim lamentou o facto de alguns artistas estarem mais dedicados a polémicas do que ao trabalho. Entretanto, aconselhou as figuras públicas vitimas de difamação a continuarem firmes nos seus trabalhos.

Foi convidado pelo presidente da Associação dos Kuduristas de Angola (B Black) para visitar as instalações daquela instituição, no âmbito da troca de experiências e visão estratégica.

Devido a sua capacidade de criar estratégias e o seu carácter humanista, o músico tem sido solicitado por artistas e vários profissionais de diferentes sectores para criar uma produtora e ajudar a internacionalizar a cultura angolana.

Leave a Response